segunda-feira, 30 de setembro de 2013

3º Sorteio Um Consenso Incomum - Resultado

O III Sorteio do Um Consenso Incomum se encerrou à meia noite de ontem, 29/09/13. O sorteio se deu hoje, e os ganhadores são:

1º colocado: Rodrigo Signoretti

2º colocado: Eduardo Rebelo


Foram 16 compartilhamentos com abrangência pública. Como ressaltado tanto nas postagens na página do Facebook como no blog, somente poderíamos visualizar os compartilhamentos públicos, devido às configurações de privacidade do Facebook. Dessa forma, nem todos os compartilhamentos realizados puderam ser contabilizados. A ordem dos nomes está aleatória, e cada nome associa-se a um número. A lista completa dos nomes segue abaixo.


1  Cinthia Scrllt
2  Luma Lorenzon
3  Eduardo Rebelo 
4  Fabio Diniz
5  Rebecca Obara
6  Francine Luz
7  Silvana Santos Damaceno
8  Felippe Nomura
9  Daniel Rohrer
10  Isabela Oliveira
11  Rafaela Andrade 
12  Lais Brigoni
13  Michelle Franzoni
14  Nicollas Bilatto
15  Matheus Revello
16  Rodrigo Signoretti

O sorteio foi realizado através do site Sorteador, e pode ser acessado através deste link.

Conforme pré-definido no regulamento (aqui), o primeiro sorteado foi definido como primeiro colocado e o segundo sorteado como segundo colocado.
Leia mais >>

terça-feira, 10 de setembro de 2013

3º Sorteio Um Consenso Incomum

O Um Consenso Incomum acredita no poder transformador da leitura. Acredita que os livros e a leitura são fundamentais na formação de uma mente consciente. Por isso, estamos lançando o 3º Sorteio Um Consenso Incomum, cujos prêmios são livros que vão mudar sua forma de pensar.



Quer ganhar 3 livros sobre sociedade, educação, meio ambiente, sistema econômico e história? É fácil! Siga os passos:

  1. Curta a página do Um Consenso Incomum.
  2. Compartilhe a imagem oficial do sorteio COM ABRANGÊNCIA PÚBLICA (para que possamos visualizar seu compartilhamento). No campo de texto do compartilhamento, escreva a frase: “Eu quero ganhar 3 livros do Um Consenso Incomum!”.
  3. Aguarde até o dia do anúncio dos ganhadores, dia 30 de setembro! Postaremos o resultado em nossa página do Facebook.

      Prêmios

Serão dois sorteados. O primeiro e o segundo sorteados ganharão 3 livros cada!
  • O primeiro sorteado ganha os livros:
    • O que é o ocidente?, do escritor Philippe Nemo;.
    • Dinâmicas demográficas e ambiente, dos organizadores Álvaro de Oliveira D'Antona e Roberto Luiz do Carmo;
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini.

  • O segundo sorteado ganha os livros:
    • O antigo regime e a revolução, do escritor Alexis de Tocqueville;
    • População e mudança climática - dimensões humanas das mudanças ambientais globais, dos escritores Eduardo Marandola Jr. e Daniel Joseph Hogan;
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini.


Ao final desse texto você pode conferir as fotos de cada livro em separado e suas sinopses.


Regulamento
Detalhes importantes do sorteio:
- Criaremos uma planilha com os nomes das pessoas que compartilharam a imagem e, portanto, estão participando do sorteio. Cada nome será vinculado a um número. Dois números serão sorteados aleatoriamente, e os dois nomes associados serão os vencedores. O primeiro sorteado ganhará o primeiro; o segundo sorteado ganhará o segundo prêmio. Filmaremos o sorteio para que não reste dúvidas.
- Compartilhar mais de uma vez não acarreta em mais chances de ganhar. Nomes que aparecem mais de uma vez na planilha serão considerados apenas uma vez.
- Páginas que façam o compartilhamento não serão adicionadas à planilha. Somente pessoas reais serão sorteadas. Nada impede que páginas compartilhem, porém.
Menores de idade que não podem fazer compartilhamentos com abrangência pública devem mandar um inbox para nós nos informando sobre o compartilhamento. Deve-se, porém, fazer o compartilhamento da mesma forma, e pedimos um print do compartilhamento em seu mural para confirmação.
- O Um Consenso Incomum trabalha voluntariamente e com uma política de custo zero, de forma que não geramos receita alguma. Assim, os ganhadores se comprometem a arcar com o custo do transporte do prêmio: se for necessário enviar por correio, enviaremos mediante reembolso.
- Caso o ganhador se recuse a receber o prêmio devido ao custo do correio, faremos um novo sorteio com as mesmas pessoas que já estavam participando. Compartilhamentos após a data limite do sorteio não serão considerados.
Os ganhadores se comprometem a tirar foto com o prêmio e com a equipe do Um Consenso Incomum. Se os ganhadores forem de longe, devem nos enviar uma foto com os livros para ser postada na página do Um Consenso Incomum.

Como já informado, o Um Consenso Incomum trabalha com política de custo zero, e todos os livros para esse sorteio foram doações. Agradecemos imensamente aos doadores, organizadores e/ou escritores dos mesmos: Mércia Falcini, Prof. Álvaro D’Antona, Prof. Eduardo Marandola Jr e Prof. Mauro Cardoso Simões. 


Os livros - Sinopses

O que é o ocidente?


Sinopse: Para responder à pergunta O que é o Ocidente? Philippe Nemo analisa a construção histórica de valores e instituições formadores da civilização ocidental que, segundo o autor, pode ser definida "pelo Estado de direito, pela democracia, pela liberdade intelectual, pela racionalidade crítica, pela ciência e por uma economia baseada na propriedade privada".

A partir de uma morfogênese cultural do Ocidente - a invenção da Cidade grega, a invenção da propriedade privada por Roma, a revolução ética e escatológica da Bíblia, a Revolução Papal e a promoção da democracia liberal -, Philippe Nemo apresenta uma abordagem polêmica do panorama ocidental e suas transformações ao longo da história. Fonte de reflexão de questões emergentes como multiculturalismo e multietnia, esta obra oferece material de discussão sobre uma visão do Ocidente no mundo contemporâneo.

Dinâmicas demográficas e ambiente


Sinopse: O livro traz onze artigos de integrantes da linha de pesquisa População e Ambiente, vinculada ao Núcleo de Estudos de População da Universidade Estadual de Campinas (Nepo/Unicamp). Combinando reflexões teóricas com estudos de caso em distintas escalas e incorporando amplo referencial analítico, os textos refletem as discussões do grupo em torno dos seguintes temas: Urbanização e dinâmica demográfica; Distribuição populacional e ambiente na Amazônia; Risco, vulnerabilidade e lugar; População e mudanças climáticas.

A atualidade das questões abordadas e o tratamento teórico-metodológico aplicado às questões expressam a amplitude das discussões realizadas no âmbito dessa linha de pesquisa que existe desde 1983 e que, liderada até 2010 pelo Prof. Dr. Daniel Joseph Hogan, veio a se constituir uma importante referência no campo dos estudos das relações recíprocas entre componentes da dinâmica demográfica e o ambiente.

População e mudança climática - dimensões humanas das mudanças ambientais globais


Sinopse: O mundo sustentável, resiliente e adaptado à mudança climática não será um mundo menos alegre, menos democrático ou com menos oportunidades de auto-realização. Mas será  diferente. É preciso abrir mão do individualismo absoluto, cultivando o planejamento, aceitando os limites à ação humana e buscando satisfação em valores menos materialistas, para que o desafio da mudança climática tenha reposta.

O antigo regime e a revolução


Sinopse: "Este livro não é uma história da Revolução Francesa; é um estudo sobre essa Revolução. Os franceses fizeram em 1789 o maior esforço que um povo já empreendeu, a fim de, por assim dizer, cortar em dois seu destino (...). Eu sempre pensara que eles haviam obtido menos sucesso nesse singular empreendimento do que havia acreditado no exterior e do que eles mesmos acreditaram inicialmente, (...) De tal forma que, para bem compreender tanto a Revolução como sua obra, era preciso esquecer por um momento a França que vemos hoje e ir interrogar em seu túmulo a França que não existe mais. Foi o que eu procurei fazer aqui." Alexis de Tocqueville

Conversas Entrelinhas


Sinopse: Neste conjunto de crônicas, Mércia Falcini nos presenteia com suas reflexões, que nos remetem a uma ponderação sobre o significado, dimensões e estágios da experiência humana. Podemos passear por circunstâncias importantes e desdobrar entendimentos sobre a infância, a velhice, o trabalho, o lazer, a família, a escola, dentre outros, e seus processos, tudo isso tendo como eixo a aprendizagem, a educação e o desenvolvimento.

O livro nos conduz a uma deliciosa viagem conceitual e nos leva a pensar sobre experiências e situações interessantes e significativas pelas quais todos passamos. Sua leitura é uma caminhada por desafios do cotidiano humano iluminada pela sensibilidade da autora, por seu espírito crítico e inquisitivo e também pela leveza de seu humor.

Estes escritos remetem-nos ainda a compreender o significado da vida e de suas experiências específicas, a identificar a necessidade de equilibrar nossa perspectiva valoritiva sobre os eventos, perspectiva esta que muitas vezes nos impele a depositar valor exagerado em pequeninas coisas ou a distorcer o significado de outras.

O livro foi escrito mediante metodologia reflexiva conduzente à construção de significados, na busca de elementos mais essenciais, sem desqualificar os secundários; aponta caminhos mais promissores e alerta para os riscos da adoção de posturas radicais, rotuladoras e fechadas em si mesmas que, além de contribuírem para a atração do sofrimento e da limitação do desenvolvimento, os impinge a outras pessoas.
(por Heloisa Lück)
Leia mais >>

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Escrever é poder

Escrever um futuro melhor para o país depende do que, exatamente, quando temos aproximadamente 13 milhões de pessoas analfabetas e 33 milhões de pessoas analfabetas funcionais no Brasil? Em um mundo em que a oportunidade está em toda parte e é preciso não somente ter fluência em sua língua materna como também na estrangeira, os números acima são alarmantes. Então porque continuamos a escrever, mesmo que muitas pessoas não possam compreender nosso propósito? Uma citação que norteia nosso princípio é:

We write because we want to change things. We write because we have this (conviction that we) can make a difference. The difference may be a new perception of beauty, a new insight into self-understanding, a new experience of joy, or a decision to join the revolution” (Marty, 1988)

Segundo a vencedora dos Jovens Inspiradores (do Prêmio Jovens Inspiradores), promovido pela Fundação Estudar, “sociedade que escreve bem, funciona bem”, e estamos longe deste ideal. Contudo, o que fez dela inspiradora foi a vontade de transformar, já que tinha capacidade de transmitir seus conhecimentos para terceiros. Uma garota de apenas 18 anos, que poderia ignorar fatores sociais, se colocou à disposição para melhorar as habilidades de redação de uma forma interativa e sem custos.

Assim como Larissa, a vencedora do concurso, estão surgindo centenas de jovens dispostos a colocar a mão na massa para mudar a realidade. Esse texto é feito para você que sabe ler, é claro. Todo esse movimento conecta pessoas e ideias inspirando ações e, por isso, voltamos a ressaltar a importância da escrita. Por que não espalhar diferentes percepções de vida? Isso não é auto ajuda ou ser positivo demasiadamente, e existem problemas gravíssimos, mas por onde começa a nossa revolução?

Para finalizar, vale lembrar que grandes mestres nunca registraram suas palavras. Aristóteles e Jesus jamais escreveram o que hoje lemos, por isso devemos agradecer aos autores que nos deixaram trechos filosóficos riquíssimos. Embora você possa não se identificar pela escrita, é importante refletir qual o seu meio de contagiar pessoas. Conhecer o seu próprio impacto é potencializar a mudança no mundo. 


Fontes:



Por Marina Bomura
Leia mais >>

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Sorteio Um Consenso Incomum - Resultado

O II Sorteio do Um Consenso Incomum se encerrou à meia noite de ontem, 05/06/13. O sorteio se deu hoje, e os ganhadores são:

1º colocado: Raphael Ramos

2º colocado: Rayane Siqueira

3º colocado: João Gonçalves

4º colocado: Vitor Osti

Foram 85 compartilhamentos com abrangência pública. Como ressaltado tanto nas postagens na página do Facebook como no blog, somente poderíamos visualizar os compartilhamentos públicos, devido às configurações de privacidade do Facebook. Dessa forma, nem todos os compartilhamentos realizados puderam ser contabilizados. A tabela com os nomes dos participantes pode ser visualizada aqui. A ordem dos nomes está aleatório, e cada nome associa-se a um número.

Os sorteios foram realizados através do site Sorteador, e podem ser acessados através dos links:


É possível observar através dos números de série e através das datas registradas que os sorteios foram sucessivos e, conforme pré-definido no regulamento (aqui), o primeiro sorteado foi definido como primeiro colocado, segundo sorteado como segundo colocado, e assim por diante.

Os sorteios foram filmados. O vídeo do primeiro sorteado foi divulgado na nossa página do Facebook, aqui. Os demais sorteios constam nos seguintes vídeos:


Segundo sorteado
video

Terceiro sorteado
video


Quarto sorteado
video

Agradecemos, novamente, aos doadores, organizadores e/ou escritores dos mesmos: Mércia Falcini, Prof. Rafael Dias, Prof. Edmundo Inácio Jr., Prof. Álvaro D’Antona e Prof. Eduardo Marandola Jr. Agradecemos, também, a todos que compartilharam e participaram do sorteio. Quaisquer dúvidas, entrar em contato conosco.
Leia mais >>

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Educando a cultura!


A cultura é um sistema de padrões, valores e significados estabelecidos em uma sociedade. Quando nascemos, nos infiltramos em uma cultura já estabelecida, porém não estática. O homem é também criador de cultura, e é através da educação que experiências são vividas, velhos paradigmas quebrados e novos estabelecidos. É necessário, pois, uma atenção especial para a questão da educação.

Já vimos debatendo em artigos anteriores as questões e casos de Negócios Sociais. E se tratando de um tema tão importante quanto a educação, essa nova geração de empreendedores que lucra fazendo o bem não fica de fora dessa; 34% dos Negócios Sociais hoje no Brasil focam em educação.

Como todo bom empreendimento de sucesso, criatividade e inovação são pré-requisitos. Os empreendedores lançam mão, então, das novas tendências em educação. O modelo de sala de aula invertida já está presente no Brasil, como é o caso da Khan Academy. Nele, os alunos acessam o conhecimento através de videoaulas em casa e desenvolvem os trabalhos de casa na escola.

Outros modelos já bastantes popularizados são a gamificação e o aprendizado baseado em jogos, o qual utiliza jogos como meio de apresentação de conteúdo didático. O Kiduca, criado pela Singol, é referência desse modelo no Brasil.

Ademais, há os modelos baseados na tecnologia, que em um sistema pautado no avanço tecnológico como o nosso atual não poderia ser ignorado. Dentre eles, há o MOOC, cursos virtuais gratuitos na web; o ensino adaptativo, o qual usa softwares para propor atividades diferentes e sob medida para cada aluno; e o crowdlearning, plataformas virtuais para troca de conhecimento. Todos esses modelos já fazem parte da rede empreendedora brasileira, liderados pela PingMind, Geekie, e Sabixão, respectivamente.


É perceptível que as oportunidades de negócios são infinitas. Com um pouco de criatividade, e com os recursos tecnológicos hoje existentes é possível lucrar fazendo o bem, quebrando paradigmas, reafirmando os valores e criando uma nova cultura, muito mais justa e solidária.

Para saber mais:



Por Lucas Fagundes
Leia mais >>

terça-feira, 21 de maio de 2013

Projeto Esporte Cidadão (primeira parte)


“Aprendi a gostar delas e elas de mim”
(professor Henrique)



Marcus Campos, aluno de Ciências do Esporte e ingressante na FCA – UNICAMP em 2010, tem um visão pouco comum dentre os pensadores do esporte. Foi com essa visão incomum, porém de consenso entre renomados intelectuais e pesquisadores, que Marcus nos procurou com a vontade de criar um projeto social na comunidade de Limeira: surgia o Esporte Cidadão. Conheça nesse texto escrito por Marcus um pouco do projeto e desse pensamento que serviu de base para o mesmo. O projeto teve duração de um ano, ao longo de 2012, e agora em 2013 há chance de que se torne um projeto de extensão, abrigado e realizado dentro da própria faculdade.
- Um Consenso Incomum



Quais são os limites do esporte? E os limites da aprendizagem e evolução humana, quais são? Há limites para a sensibilidade humana? Estas são, certamente, perguntas que as pessoas não se fazem e que seus amigos, provavelmente, também não fazem a si mesmos. É estranho quando elas surgem. Na verdade, parecem não se encontrar no mesmo mundo duas pessoas tão distintas quanto a que se preocupa com as fotos que outro “posta” em algum de seus vários perfis de uma rede social e aquela que se preocupa em fazer tais perguntas; o mundo não é o mesmo para alguém que, se perguntado sobre o que significa esporte, dirá algo sobre as modalidades e os atletas de alto rendimento, do que para o qual, se feita mesma pergunta, dialogará a partir de um esporte plural e que atende a humanidade da maneira que a convir.

Os limites do esporte estão intimamente ligados aos limites da intenção humana. O esporte pode tudo, segundo Vitor Marinho de Oliveira. Vai da arte ao horror. Tão velho é o esporte quanto as noções de estado, ética e direito.

Pude sentir fortemente que o esporte é sim um meio de ensinar o que quisermos, com os valores que forem abordados.”
(professor Leonardo)



É possível transferir os conhecimentos produzidos no esporte para a vida cotidiana, como é possível transferir os conceitos de química para assar um bolo ou os de física quando se pergunta qual a distância daqui a ali. Aprendemos nas escolas “princípios básicos” da Química, da Física, da Matemática e de todas as outras áreas inseridas no seu sistema, mas quando chega a hora do esporte ou da Educação Física, a aula é de “dar a bola”, “apenas correr”, “recreio” e “compensação pelo trabalho duro nas outras aulas”. Mal é questionada aos alunos a importância do esporte na vida deles, muito menos suas potencialidades. Mal se sabe o esporte ou o entende-se, mesmo por parte dos professores; seus conteúdos são limitados na escola. Porém, este é o melhor caminho para se trilhar nas aulas de Educação Física ou nas escolas de esporte?

“[...] proporcionar momentos e ambientes de aprendizagem entre alunos e professores onde as dificuldades de diversas áreas fossem interpretadas e resolvidas de maneira similar a dos jogos abordados, com temática esportiva e também social”.
(professor Leonardo)



O Esporte Cidadão não concorda em como é desenvolvido o esporte em diversas escolas brasileiras e se propôs a desenvolver um programa diferente: nas aulas, o esporte era tratado como fenômeno que atinge toda a sociedade e, se atinge, consegue transformar o aluno, o professor e o espaço de que ambos desfrutam. Nas aulas, a ideia é aprender a aprender. É redescobrir para que servem os diversos esportes e as lógicas presentes nestes. Se no esporte vôlei as regras pedem com que se levante a bola para o companheiro, a cooperação é fundamental, como em todos os esportes coletivos; no atletismo ou na ginástica é preciso concentração e disciplina para conseguir atingir a consciência corporal; na vela ou no rafting, o respeito ao meio ambiente é imprescindível à pratica esportiva. Da mesma maneira como existem princípios básicos nas ciências da natureza, o esporte esbanja elementos que podem muito bem serem usados na educação, desde que se saiba usá-los.

“[...] ir além da própria aprendizagem de si, mas de valores como respeito, cooperação, motivação, união, compreensão, disciplina, moralidade.”
(professora Mariana)



As aulas eram campo aberto de conhecimento e de reflexão. Durante todo o processo de aulas foi sempre valorizado o que as crianças/jovens tinham a ensinar, como o que podiam construir com as informações que os professores às propunham. Pelo jogo, elas viviam um pouco mais das diferenças sociais em suas vidas, convivendo com colegas de todos os humores e crenças. Adentrando ao mundo mágico do lúdico, junto a essa pluralidade de gente (colegas e professores), se transportavam ao campo da criatividade, onde passam os Ronaldos, as Paulas e Hortências, os Robert Scheidts, no esporte, mas também visitado pelos Van Goghs, Monets ou Paulos Freire. Pois neste universo de sensibilidade, neste mundo de criatividade e vivência, tudo se transfere, e educação, artes e esporte caminham juntos; são feitos da mesma coisa: elementos que podem mudar o mundo.

É possível haver esta transformação/mudança/aprendizado dos valores pela vivência através dos jogos, visto o aspecto educativo e as características que só os jogos possuem como ensino.” 
(professora Mariana)

Professores do projeto

por Marcus Campos



Em negrito, destacaram-se algumas frases dos professores do projeto, com a intenção de mostrar o ponto de vista deles a partir das aulas e da lógica seguida pelo projeto. Pode-se, por esses parágrafos, enxergar que o objetivo do projeto ganha sentido em suas falas. O próximo texto sobre o projeto contará com as respostas das crianças.

Leia mais >>

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Uma luz no fim do túnel


Quando tem feriado sempre me paro para perguntar o porquê desse dia ser especial ou ser tão digno de comemoração. Dez dias se passaram... e o que significou Primeiro de Maio? Dia do Trabalhador: um dia de manifestação em 1886 em Chicago, onde os trabalhadores saíram às ruas para reivindicar melhores condições de trabalho, menores jornadas de trabalhos.  Dois dias depois, alguns trabalhadores se envolveram em um conflito com policiais e morreram; esse fato acarretou em uma série de outros conflitos com a polícia.  Como forma de homenagear os que morreram nesse combate, foi criado o dia do trabalhador. No Brasil, Getúlio Vargas, em 1º de maio de 1940, instituiu o salário mínimo, e no mesmo dia em 1941 foi criado a Justiça do Trabalho.

Sabendo de todo este histórico, fico feliz com a atual realidade em que me encontro. Lógico, não estou satisfeita: mesmo diante de tanta luta por direitos trabalhistas, ainda hoje encontramos trabalho infantil, exploração, dentre outras realidades chocantes. No entanto vejo, também, que há uma luz no fim do túnel, mesmo que ela pareça fraca e um pouco longe.

E quem me proporcionou enxergar essa luz foi a Endeavor, que publicou um artigo dizendo que ‘Negócios que priorizam o impacto social, e não o lucro, têm cada vez mais possibilidade de êxito com o aumento das demandas da base da pirâmide’. E aí, você para e pensa: cem anos atrás os donos das fábricas eram tão gananciosos que se esqueciam de que os seus trabalhadores eram seres humanos, que precisavam de condições mínimas de trabalho e de um salário digno para viver, e só pensavam em lucros exorbitantes para a empresa. E agora, mesmo longe da perfeição, já temos pessoas tentando viabilizar ações que beneficiem os trabalhadores dessa base.

O negócio é tão novo que ainda não se tem um nome ao certo, só se sabe que é uma iniciativa que tem como objetivo ‘utilizar estratégias de negócio para melhorar a qualidade de vida das pessoas de baixa renda’. Hoje, 80% da população do país compõe essa base, de forma que, como dito no texto ‘Está cada vez mais claro que as soluções para essas questões não podem depender apenas do poder público’.

É por conta de iniciativas como essas e outras que eu ainda acredito nas boas intenções das pessoas. E se tem uma frase que me faz, todos os dias, pensar melhor no que eu faço, é: ‘Seja você a mudança que tanto procura nos outros. As pessoas não mudam com cobranças, mudam com exemplos’.
Fontes:

Por Eleni Toledo

Leia mais >>

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Sorteio Um Consenso Incomum

--------------------------------
SORTEIO FINALIZADO
Sorteados e informações aqui
--------------------------------

O Um Consenso Incomum acredita no poder transformador da leitura. Acredita que os livros e a leitura são fundamentais na formação de uma mente consciente. Por isso, estamos lançando o 2º Sorteio Um Consenso Incomum, cujos prêmios são livros que vão mudar sua forma de pensar.



Quer ganhar até cinco livros sobre sociedade, educação, ambiente e sistema econômico? É fácil! Siga os passos:

  1. Curta a página do Um Consenso Incomum.
  2. Compartilhe a imagem oficial do sorteio com abrangência pública (para que possamos visualizar seu compartilhamento). No campo de texto do compartilhamento, escreva a frase: “Eu quero ganhar os 5 livros do Um Consenso Incomum!”.
  3. Aguarde até o dia do anúncio dos ganhadores, dia 5 de junho! Postaremos o resultado em nossa página do Facebook.

      Prêmios

Serão quatro sorteados. O primeiro sorteado ganhará 5 livros, o segundo 3, o terceiro 2 e o quarto, 1.
  • O primeiro sorteado ganha os livros:
    • Brasil, 15 anos após a Conferência do Cairo, organização Abep (Associação Brasileira de Estudos Populacionais) e UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas), diversos autores.
    • Fixing the Game - Bubbles, Crashes and what Capitalism can learn from de NFL, do escritor Roger L. Martin (em inglês).
    • População, ambiente e desenvolvimento - Mudanças climáticas e urbanização no Centro-Oeste, de organização por Eduardo Marandola Jr., Álvaro de Oliveira D'Antona e Ricardo Ojima.
    • Sessenta Anos de Política Científica e Tecnológica no Brasil, do escritor Rafael de Brito Dias;
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini;
  • O segundo sorteado ganha os livros:
    • População, ambiente e desenvolvimento - Mudanças climáticas e urbanização no Centro-Oeste, dos escritores Eduardo Marandola Jr., Álvaro de Oliveira D'Antona e Ricardo Ojima.
    • Sessenta Anos de Política Científica e Tecnológica no Brasil, do escritor Rafael de Brito Dias;
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini;

  • O terceiro sorteado ganha os livros:
    • Sessenta Anos de Política Científica e Tecnológica no Brasil, do escritor Rafael de Brito Dias;
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini;

  • O quarto sorteado ganha o livro:
    • Conversas Entrelinhas, da escritora Mércia Falcini;

Ao final desse texto você pode conferir as fotos de cada livro em separado e suas sinopses.


Regulamento
Detalhes importantes do sorteio:
- Criaremos uma planilha com os nomes das pessoas que compartilharam a imagem e, portanto, estão participando do sorteio. Cada nome será vinculado a um número. Quatro números serão sorteados aleatoriamente, e os quatro nomes associados serão os vencedores. O primeiro sorteado ganhará o primeiro e melhor prêmio; o segundo sorteado ganhará o segundo prêmio; e assim por diante. Filmaremos o sorteio para que não reste dúvidas.
- Compartilhar mais de uma vez não acarreta em mais chances de ganhar. Nomes que aparecem mais de uma vez na planilha serão considerados apenas uma vez.
- Páginas que façam o compartilhamento não serão adicionadas à planilha. Somente pessoas reais serão sorteadas. Nada impede que páginas compartilhem, porém.
- Menores de idade que não podem fazer compartilhamentos com abrangência pública devem mandar um inbox para nós nos informando sobre o compartilhamento. Deve-se, porém, fazer o compartilhamento da mesma forma, e pedimos um print do compartilhamento em seu mural para confirmação.
- O Um Consenso Incomum trabalha voluntariamente e com uma política de custo zero, de forma que não geramos receita alguma. Assim, os ganhadores se comprometem a arcar com o custo do transporte do prêmio: se for necessário enviar por correio, enviaremos mediante reembolso.
- Caso o ganhador se recuse a receber o prêmio devido ao custo do correio, faremos um novo sorteio com as mesmas pessoas que já estavam participando. Compartilhamentos após a data limite do sorteio não serão considerados.
- Os ganhadores se comprometem a tirar foto com o prêmio e com a equipe do Um Consenso Incomum. Se os ganhadores forem de longe, devem nos enviar uma foto com os livros para ser postada na página do Um Consenso Incomum.

Como já informado, o Um Consenso Incomum trabalha com política de custo zero, e todos os livros para esse sorteio foram doações. Agradecemos imensamente aos doadores, organizadores e/ou escritores dos mesmos: Mércia Falcini, Prof. Rafael Dias, Prof. Edmundo Inácio Jr., Prof. Álvaro D’Antona e Prof. Eduardo Marandola Jr. 


Os livros - Sinopses
Brasil, 15 anos após a Conferência do Cairo


Sinopse: A Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo, de 5 a 13 de setembro de 1994, inscreve-se no conjunto de iniciativas das Nações Unidas com o propósito de melhor adequar o planeta para o milênio iniciado em 2000. Com uma abordagem eminentemente centrada nos direitos humanos e no conceito de desenvolvimento sustentável, as recomendações da CIPD-94 têm norteado a formulação de políticas e ações em todo o mundo e, sobretudo, nos países em desenvolvimento. Além disso, as resoluções aprovadas no Plano de Ação da Conferência constituíram a base para o estabelecimento de metas, visando o alcance de melhores condições de vida para a população.

O ano de 2009 marca o 15º aniversário da CPID-94 e, a exemplo do que ocorreu no 5º e no 10º aniversários, a Abep reuniu no Seminário "Brasil: 15 anos após a Conferência do Cairo", realizado na Universidade Federal de Minas Gerais em Belo Horizonte, entre 11 e 12 de agosto de 2009, alguns dos mais renomados pesquisadores sobre os temas populacionais no Brasil, para uma reflexão crítica sobre os avanços (ou retrocessos) em cinco questões específicas constantes das recomendações da Conferência: saúde reprodutiva; migração internacional; relações de gênero; população e desenvolvimento; e juventude e envelhecimento.

Ao divulgar neste livro os textos apresentados no Seminário, a Abep espera cumprir, mais uma vez, sua função de fomentar a atividade científica sobre os temas populacionais, bem como contribuir com os governos e órgãos públicos em seus diferentes níveis e a sociedade civil, para um maior conhecimento da nossa realidade social.

Fixing the Game - Bubbles, Crashes and what Capitalism can learn from de NFL



Sinopse: (em breve)

População, ambiente e desenvolvimento - Mudanças climáticas e urbanização no Centro-Oeste


Sinopse: Os estudos reunidos nesta coletânea são contribuições de palestrantes, professores e alunos que participam do III Programa de Capacitação em População, Ambiente e Desenvolvimento: mudanças climáticas e urbanização, idealizado pelo saudoso Prof. Daniel Hogan, organizado pelo Núcleo de Estudos de População (Nepo) e apoiado pelo Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa).

A obra contribui com reflexões sobre temas que hoje fazem parte da agenda global, como dinâmica populacional, ambiente e desenvolvimento, considerando suas múltiplas dimensões, seus condicionantes, suas interfaces e seus impactos. Além de oferecer ao leitor um panorama da situação atual, a obra proporciona outra contribuição ao apontar propostas concretas e alternativas possíveis para o desenvolvimento destas áreas frente às mudanças climáticas e processo de urbanização.

Além de difundir discussões de alto nível teórico e técnico-metodológico, o livro contribui ao aprofundamento do conhecimento e se constitui em importante subsídio para implementação de políticas públicas que visem a articulação entre população, ambiente e desenvolvimento.

Sessenta Anos de Política Científica e Tecnológica no Brasil


Sinopse: Este livro apresenta as principais transformações pelas quais a política científica e tecnológica (PCT) brasileira passou nas últimas seis décadas. Ao empregar um referencial ainda pouco utilizado no Brasil (o da Análise de Política), a obra diferencia-se das interpretações usuais acerca da PCT, que conferem pouca atenção a aspectos fundamentais associados à elaboração de políticas públicas, como valores, ideologias, interesses e assimetrias de poder. Outro fator que confere importância ao texto é seu caráter didático: há uma conhecida carência de material bibliográfico que trate da evolução histórica da PCT brasileira. Também são poucos os trabalhos que apresentam elementos associados ao referencial teórico-metodológico aqui empregado. O livro é leitura recomendada a pesquisadores, professores e estudantes que trabalham com temas tão diversos quanto Estado e políticas públicas, Análise de Política, reforma do Estado, política científica e tecnológica, política industrial, educação superior e tecnologia social.

Conversas Entrelinhas


Sinopse: Neste conjunto de crônicas, Mércia Falcini nos presenteia com suas reflexões, que nos remetem a uma ponderação sobre o significado, dimensões e estágios da experiência humana. Podemos passear por circunstâncias importantes e desdobrar entendimentos sobre a infância, a velhice, o trabalho, o lazer, a família, a escola, dentre outros, e seus processos, tudo isso tendo como eixo a aprendizagem, a educação e o desenvolvimento.

O livro nos conduz a uma deliciosa viagem conceitual e nos leva a pensar sobre experiências e situações interessantes e significativas pelas quais todos passamos. Sua leitura é uma caminhada por desafios do cotidiano humano iluminada pela sensibilidade da autora, por seu espírito crítico e inquisitivo e também pela leveza de seu humor.

Estes escritos remetem-nos ainda a compreender o significado da vida e de suas experiências específicas, a identificar a necessidade de equilibrar nossa perspectiva valoritiva sobre os eventos, perspectiva esta que muitas vezes nos impele a depositar valor exagerado em pequeninas coisas ou a distorcer o significado de outras.

O livro foi escrito mediante metodologia reflexiva conduzente à construção de significados, na busca de elementos mais essenciais, sem desqualificar os secundários; aponta caminhos mais promissores e alerta para os riscos da adoção de posturas radicais, rotuladoras e fechadas em si mesmas que, além de contribuírem para a atração do sofrimento e da limitação do desenvolvimento, os impinge a outras pessoas.
(por Heloisa Lück)


Leia mais >>

sábado, 13 de abril de 2013

Saiba como desenvolver sua atitude empreendedora!



Está querendo desenvolver sua atitude empreendedora e não sabe como e nem por onde começar? O Consenso Incomum formou uma nova parceria que tem tudo a ver com quem se interessa por inovação, atitudes de impacto e empreendedorismo!

A Eureca!, nosso mais novo parceiro, tem o propósito de captar as necessidades dos jovens e transformá-las em experiências que desenvolvem a alma empreendedora que há em cada pessoa, afim de deixar uma marca na sociedade.

Para isso, a iniciativa, criada por Marcelo Vieira e Rodrigo Masao, procura capacitar, criar experiências vivenciais e aproximar esses jovens universitários de empresas, afim de intensificarem seu aprendizado e aumentarem suas expectativas de mercado.

Hoje, a dupla trabalha para lançar o Journey! A plataforma segue a mesma linha de todos os trabalhos da Eureca!, além da disponibilização de textos que seguem a temática, e assim, por desafios e acúmulo de Eurecos! - moedas virtuais -  você pode vir a vivenciar summer Jobs em grandes empresas, coachings com empresários, palestras e treinamentos, tudo de graça! Basta seguir estas instruções que se encontram no site:



Nós, do Consenso Incomum, ainda teremos um espaço na plataforma para postar frequentemente artigos inéditos sobre empreendedorismo social e com conteúdo exclusivo, que só será postado por lá!

Assim, para quem se interessou e quer se desenvolver e criar uma atitude empreendedora, que impacte positivamente a sociedade, não perca tempo e se inscreva já na plataforma! Ela entrará no ar no dia 15/04, segunda-feira, e desde então também estaremos lá divulgando atitudes empreendedoras de impacto e conteúdos inéditos (:


Por Silvia Moraes
Leia mais >>

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Web Hosting Coupons